Como seria a busca de informações na web sem a comunidade de código aberto?

08/06/2009
  • Pin It

Não é preciso ser um grande observador para perceber que o mundo “on-line” funciona numa dinâmica bem diferente da encontrada no mundo “off-line”.

Um exemplo claro é o problema enfrentado atualmente pelos “grupos da informação”, preocupados em manter a saúde financeira dos seus negócios em consonância com a velocidade e diversidade na geração de informação possibilitada pela internet.

Até bem pouco tempo atrás, estes grupos influenciavam uma grande massa de leitores através das suas revistas impressas semanalmente. Lembro-me do meu pai que passava todo o seu domingo lendo a revista Veja para se manter “informado”…

Hoje em dia, para ilustrar essa grande diferença, basta uma atualização no meu RSS para rapidamente saber o conteúdo que os meus blogs preferidos postaram. Caso eu queira mais informação sobre determinado assunto, basta recorrer também ao Google…

Há ainda a opção de navegar pelos grandes portais como o Uol e Terra que foram obrigados a “abrir” parte dos seus conteúdos na busca de maior tráfego e receita publicitária. Nesse contexto, o foco pela venda de assinatura foi sendo deixado de lado…

E a comunidade de código livre ?

Um dos principais fatores que possibilita essa revolução é a existência da comunidade de “código livre”. Também conhecida como “código aberto” ou “open source”ou CMS, este grupo é formado por uma imponente e bem organizada comunidade de desenvolvedores do mundo todo que busca uma “internet livre”.

Deixando as convicções ideológicas de lado, o fato é que esta comunidade criou e continuará criando ferramentas extremamente úteis e importantes para a internet como o wordpress.

Responsabilidade do wordpress

O wordpress é uma ferramenta que tem como objetivo possibilitar o gerenciamento do conteúdo dos sites de forma rápida e fácil. Este acabou sendo mundialmente popularizado através do seu uso em larga escala nos blogs.

Quando a tecnologia do wordpress é somado às qualidades de internautas que realmente querem criar algo de qualidade, o “ciclo da geração do conteúdo” é completado e o resultado é o surgimento de trabalhos extremante interessantes como a revista virtus.

Esta revista foi concebida para “formar a opinião e incentivar a leitura” de um público jovem, mas extremamente crítico. Formada por vários colunistas, ela possui uma quantidade bem razoável de postagens, assuntos únicos e relevantes.

O que você acha ? Deixe a sua opinião !

Rodrigo Sampaio
Autor: Rodrigo Sampaio

Diretor Executivo da Estratégia Digital, Professor de 5 cursos de Marketing Digital e 2 turmas de Facebook Marketing oferecidos em Ribeirão Preto, MBA em Marketing FGV e Aluno EAD do MBA em Gestão Estratégica USP.

line
line

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*