Você compartilha mais do que deveria nas suas redes sociais?

07/02/2012
  • Pin It

Inicialmente, a internet era um canal de informação unidirecional, em que o conteúdo on-line era disponibilizado por uma fonte, e absorvido passivamente por centenas de pessoas/consumidores.

Porém, com o tempo, em virtude da evolução natural da internet, somada ao surgimento das redes sociais, os internautas deixaram de ser passivos e passaram eles mesmos a produzirem seus próprios conteúdos e a disponibilizá-los on-line, criando comunidades, compartilhando músicas, vídeos, fotos, atualizações, e aumentando seu número de amigos.

Um comportamento que surpreende nas redes sociais é o fato de as pessoas adicionarem como amigas, pessoas que nunca viram antes, só por compartilharem dos mesmos gostos.

No entanto, apesar de todo seu potencial “amigável”, as redes sociais representam também uma séria ameaça.

Fugindo a extremismos, as redes sociais, em particular aquelas de maior dimensão, são alvos de ataques visando atingir sua principal vulnerabilidade: os usuários.

internet-stalker

Uma das principais ameaças à segurança e privacidade dos usuários deve-se ao tipo de conteúdo e de informações que eles compartilham nas redes.

Por exemplo: uma foto do churrasco regado à cerveja, ao ser postada no Facebook, pode ser legal hoje, mas pode tornar-se comprometedora no futuro.

Numa perspectiva empresarial e profissional, estas redes sociais podem representar pesos negativos na escolha de um candidato a uma vaga. Hoje em dia, multinacionais e empresas de grande porte recorrem frequentemente às redes sociais como uma forma complementar a verificação do perfil dos candidatos a vagas. Imaginem qual seria a impressão que a foto do churrasco regado a cerveja não passaria!

E mais, ainda que sua exposição inadequada na empresa não seja por meio de uma foto, uma simples atualização de status pode virar uma piada indevida.

Trabalho

É claro que existem filtros de privacidade nas redes sociais, mas é necessário criar consciência nos usuários sobre suas atitudes nas redes.

  • 46% dos usuários do FB aceitam pedidos de amizade de estranhos;
  • quase 100% dos usuários divulgam o seu endereço de e-mail particular;
  • entre 30-40% dos usuários listam dados sobre a sua família e amigos.

As redes sociais e os Stalkers

Outro procedimento que vem se tornando cada vez mais comum nas redes sociais é o Stalking, uma prática caracterizada pela vigilância exagerada que uma pessoa têm sobre a outra.

O Stalker pode simplesmente atuar passivamente, apenas perseguindo a pessoa vigiada nas suas redes. No entanto, alguns casos envolvem atitudes mais diretas e amedrontadoras, como entregar objetos indesejados, de forma inesperada.

Com a explosão das redes sociais nos últimos anos, o trabalho dos stalkers ficou muito mais fácil. Uma simples busca pelo nome de alguém é suficiente para localizar uma pessoa. O que dizer sobre encontrar  uma pessoa e já saber sobre suas comunidades, lugares frequentados e maneiras de contato escancaradas, às vezes com endereço, CEP e telefone?

pacman

Algumas redes, como o Facebook e o Orkut nos permitem alterar as configurações de privacidade, mas mesmo assim, não devemos nos sentir blindados. A princípio, seus dados estão seguros em uma rede confiável, mas há a chance de eles vazem, por exemplo, se um dos contatos da rede tiver seu perfil invadido.

Resumindo, toda grande rede é uma faca de dois gumes: há o lado rápido, prático e ótimo para a comunicação, mas há também o lado perigoso de quem te segue, só para te menosprezar com suas publicações pessoais, e quem te segue por maldade.

No caso das redes sociais, existem algumas recomendações sobre privacidade e segurança:

  • Se você usa Windows, sempre passe um antivírus, que consiga detectar ameaças na Web e que funcione como firewall e anti-spyware;
  • Cuidado com a informação compartilhada, tanto em termos de conteúdo, quanto em termos de “com quem compartilhar”;
  • Configurar as políticas de compartilhamento no Facebook e Orkut;
  • Nunca revelar informações pessoais (endereço, telefone, e-mail particular, etc)
  • Cuidado com fotos e outros conteúdos que se colocam nas redes sociais;
  • Desconfiar sempre dos links e outras mensagens que sejam compartilhados por “amigos” conhecidos e desconhecidos;
  • Não instalar aplicativos no Facebook, sem saber do que se trata primeiro.

Gostou?

Deixe seu comentário

Compartilhe!!!

 

Por: Daniel Braga

Marketing Digital em Ribeirão Preto

http://twitter.com/estrategiadig

Estratégia Digital
Autor: Estratégia Digital

Consultoria em marketing digital que atua há mais de 8 anos na região de Ribeirão Preto.

line
line

2 comentarios sobre “Você compartilha mais do que deveria nas suas redes sociais?”

  1. A privacidade na internet é sempre deixada de lado pelo usuário até mesmo por desconhecer os perigos que pode correr. É sempre bom mesmo deixar o mínimo de informação online e garimpar muito bem os dados que posta no facebook, orkut e afins.

    1. Exatamente, o assunto pode parecer simples, mas segurança na internet é coisa séria!

      Obrigado por ler e comentar o nosso post.

      Volte sempre ao nosso blog de marketing digital.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*