Facebook: Entretenimento Lucrativo

10/07/2013
  • Pin It

O momento de se relacionar

As pessoas estão buscando freneticamente encontrar o novo. Através de outras pessoas, instituições e empresas, estabelecem vínculos de comunicação, trocando experiências, criticando, elogiando, mobilizando e até parando um país inteiro se isso lhes for conveniente.

Como nós, empresas, devemos lidar com isso?

Devemos nos esconder offline ou escancarar para o mundo nossos conceitos, objetivos, valores e desejos além de expor somente nossos produtos e serviços?

Como nossos cliente irão reagir?

Segundo a  consultoria Trendwatching, a transparência das empresas perante os consumidores é uma tendência declarada para os próximos anos.  As marcas precisam estar posicionadas de forma clara e ideológica. Acredito que agora, meio de 2013, já ficou claro para todos que os consumidores estão mais exigentes.

Então, vamos interagir?

Facebook

Viva o Facebook!

É a maior rede social do momento. Vamos criar uma Fan Page no Facebook! Lá, iremos divulgar o seu produto/serviço e esperar que as pessoas notem a sua existência.

NÃO!

Primeiro, devemos conhecer bem o nosso negócio. Quais os  nossos valores, nossa cultura, qual a nossa missão institucional? Qual valor entregamos ? Devemos transmitir algo além da informação.

Sem saber isso, o risco de mostrar para o mundo uma empresa incoerente é enorme.

Não dá!

Segundo Passo

Feito isso, analisaremos o nosso público através do próprio Facebook: quem são, onde vivem, como comunicam-se, o que gostam de ler, para onde irão nas próximas férias, etc. Não apenas nossos clientes devem estar inclusos nessa pesquisa, mas todos os potenciais que encontrarmos no caminho. Bom, pelo menos algumas dessas informações temos que buscar, né?

Facebook

O foco

Não adianta jogarmos informações ao vento no Facebook e ficar esperando que elas caiam na cabeça das pessoas. Temos que direcioná-las e não esperar o vento mudar a direção. Entenderam? Direcionar o conteúdo para quem é ou possui um grande potencial de se tornar nosso cliente. No mínimo, nossa marca ganha destaque.

Aos poucos vamos conseguindo fãs, é certo que eles chegam.

Facebook

Mas, o que queremos com isso?

Queremos o viral, o envolvente e o impregnante. Para que? Pra conquistar a” métrica das métricas” do Facebook e ter váááárias pessoas falando sobre a nossa empresa. Vamos dar visibilidade para nossa marca, estabelecer um canal de comunicação, propagar conteúdo, imagens, cores e prospectar, prospectar e prospectar.  

Em resumo, nós queremos isso aqui:

  • Relacionamento;
  • Credibilidade;
  • Visibilidade;
  • Influência;
  • Lucratividade!

Mas se ainda não ficou claro para onde as informações da minha empresa no Facebook levam as pessoas, vou deixar bem claro:

Para o seu site!

Mas o que vão fazer lá? Aquilo que você quiser: Curtir? Comprar? Cadastrar? Baixar? Você quem manda! O direcionamento, ou seja, a conversão é a chave do seu poder de influência.

Vou pedir para o meu sobrinho fazer isso jáá!

Nããããão!!

É preciso entender, de uma vez por todas, que uma marca pode levar anos para se estabelecer e apenas segundos para ter a sua imagem reduzida ao fracasso completo e absoluto. Basta um pequeno deslize. Além de tudo, sua empresa deve transbordar profissionalismo.

Facebook

 

Aproveite  essa oportunidade de estar presente onde o seu cliente está: no Facebook. 

Para isso, busque profissionais que saibam lidar com o seu público alvo e gerir seu relacionamento com o seu cliente. Mostre-nos a sua empresa de sucesso!

Nós da Estratégia Digital estamos aqui para isso! Conheça os nosso serviços de gerenciamento de rede sociais.

Rodrigo Sampaio
Autor: Rodrigo Sampaio

Diretor Executivo da Estratégia Digital, Professor de 5 cursos de Marketing Digital e 2 turmas de Facebook Marketing oferecidos em Ribeirão Preto, MBA em Marketing FGV e Aluno EAD do MBA em Gestão Estratégica USP.

line
line

Um comentário sobre “Facebook: Entretenimento Lucrativo”

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*