Empresas brasileiras são as que mais controlam redes sociais no trabalho, diz pesquisa

11/02/2010
  • Pin It

As empresas brasileiras são as que mais controlam o uso de redes sociais – como Facebook, LinkedIn, Twitter, Ning, Plaxo, Hi5 e Second Life – no ambiente de trabalho, aponta uma pesquisa feita em 35 países pela Manpower, companhia norte-americana de rescursos humanos.

Segundo o levantamento, que ouviu 34 mil empregadores ao redor do mundo, 55% das empresas brasileiras têm alguma política de restrição, contra 20% registrado na média global.

Os setores que mais controlam o uso de mídias sociais no país, de acordo com o estudo, é o de finanças (81%), seguido do de transportes (65%).

Quase mil empregadores brasileiros foram entrevistados e a razão apontada por 77% deles para exercer o controle é tentar evitar a perda de produtividade. Ainda segundo o levantamento, 32% dos empregadores acreditam que as restrições no ambiente de trabalho ajudam a proteger informações confidenciais das companhias.

Em contrapartida…

De acordo com a Manpower, as políticas para mídias sociais no Brasil ainda estão focadas no gerenciamento de risco e estas redes sociais não são avaliadas pela maioria dos empregadores como uma oportunidade a ser explorada.

O menor índice de controle foi registrado na Europa e na África. Na Polônia, apenas 1% das empresas exercem alguma política restritiva e na França, 2%. A média geral nas Américas é de 29%. Nos Estados Unidos, por exemplo, 24% das companhias controlam o uso de mídias sociais.

Post publicado originalmente em:
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/02/100210_midiassociais_pesquisa_nf.shtml

Estratégia Digital
Autor: Estratégia Digital

Consultoria em marketing digital que atua há mais de 8 anos na região de Ribeirão Preto.

line
line

2 comentarios sobre “Empresas brasileiras são as que mais controlam redes sociais no trabalho, diz pesquisa”

  1. Esse texto é interessante pois denota um contraste:

    Enorme controle dos funcionários nas redes sociais pelas empresas em que trabalham e maior tempo de navegação do internauta brasileiro no mundo.

    Sem dúvida, é necessário que os gestores mudem suas ideologias e atitudes perante às redes sociais, afinal de contas, estão perdendo valiosas oportunidades de branding e recall.

    A maior certeza é que esse é um mercado em amadurecimento…

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*